Arquivo da tag: espiritismo

Vencendo o Passado

ZIBIA GASPARETTO, 2008, Vida e Consciência.

Vencendo o passado

Carolina é uma menina bem difícil de esquecer. Tanto que seu amor de outra vida, Sérgio, vem ao seu encontro em sonhos.

A menina que nasceu e cresceu em Bebedouro, cidade do interior de São Paulo, após a morte do  avô, se muda para a capital temporariamente a pedido do avó e da tia, que precisam de alguém para alegrar a casa.

No primeiro dia de aula em seu colégio novo, faz amizade com Mônica, que lhe apresenta seu irmão Sérgio, no qual Carolina reconhece semelhanças com o rapaz de seus sonhos.

O pai de Carolina é um homem sério e muito conservador que costuma impor suas vontades para os filhos e a esposa, mas,  enquanto Adalberto, seu filho mais velho faz parecer que está sempre agradando o pai e a esposa mantém um comportamento altamente submisso, Carolina resolve lutar por seu sonho de se mudar para São Paulo e se casar com Sérgio. Mas para que o casal consiga ficar junto, A garota precisa corrigir e superar os erros que cometeu em sua vida anterior.

Impressões

Apesar do livro tratar-se de um romance, é uma forma descontraída de conhecer os preceitos do Espiritismo, já que este rege a história falando sobre encontros em outras vidas e em sonhos, provas e expiações, obsessão.

Apesar do cunho espiritual e do estilo literário simples, a história é muito gostosa de ler e daquele tipo de dá vontade de acabar logo para saber o que vai acontecer na vida do casal.

A informação não é explícita mas possivelmente a história se passa por volta da década de 50 ou 60, quando mulher estudava para ser dona de casa e educar os filhos e era inaceitável por muitos pais que a filha estudasse “advocacia”, uma profissão para homens.

Paulo e Estevão

Francisco Cândido Xavier, Pelo Espírito Emmanuel. FEB, 1941.

Paulo e Estêvão

Saulo de Tarso, homem judeu que aos vinte e poucos anos se tornara um dos doutores da lei Mosaica no templo de Jerusalém, tem sua vida transformada após passar por ela, Estêvão.

Este também judeu, criado em Corinto, viu seu pai ser assassinado por soldados romanos enquanto a irmã Abigail, fugia. Ezequiel, como era seu antigo nome, ainda jovem e saudável, foi escravizado. E apesar de tantos infortúnios na breve vida, se tornou exemplo de fé e amor  consolidado sobretudo, após ser apresentado ao Evangelho, pelos irmãos da Casa do Caminho – como era conhecida a Igreja Cristã, logo após a vinda de Jesus.

Transtornado com a postura de Estêvão e seu comportamento transformador, Saulo de Tarso inicia uma perseguição aos cristãos. E no auge de sua ira, Jesus o encontra para perguntar:

“Saulo, Saulo… Por que me persegues?”

Saulo inicia então, o processo de conversão ao cristianismo que o fez ser conhecido por 2000 mil anos como o homem que levou a verdade de Jesus para muitas gentes.

 Impressões

As dificuldades enfrentadas pelos apóstolos e todos os irmãos do caminho, no início do Cristianismo, torna esta história muito, muito bonita. Preconceitos, sofrimentos, superações, processos que todos um dia iremos passar para que nos transformemos em pessoas melhores, são retratados muito intimamente na pessoa de Paulo.

É o aquele enredo que você lê e pensa “se ele foi forte para superar isso tudo, eu também posso ser”. Uma história para ser tomada como exemplo de força e perseverança.

Para os que costumam ler a Bíblia, tudo fica mais interessante pois o livro contextualiza os momentos em que Paulo escreve suas epístolas, facilitando o entendimento do conteudo destas.

Seiscentas páginas, o livro mais longo que eu já li. Apesar de algumas partes terem caminhado a passos lentos, não pensei em desistir em nenhum momento, porque na verdade, foi uma leitura muito aconchegante e pertinente.

Apesar do estilo certinho do nosso amigo Emmanuel contar a história, o texto é cheio de palavras difíceis o que fez eu me sentir mais inteligente.  Emmanuel é o espírito que ditou este livro para Chico Xavier. Acreditando ou não, muitos fatos são os mesmos retratados em outras biografias do apóstolo Paulo.

Dois trechos me marcaram fortemente. O primeiro diz respeito às mudanças profundas ocorridas na vida de Saulo de Tarso após sua conversão.

O rabino que voltou a ser um simples tecelão – profissão ensinada pelo pai, mas até então nunca praticada – aprendeu a viver do seu trabalho, humildemente. Trabalho e humildade dignificam. 

No segundo momento Paulo conclui que existem quatro coisas básicas para viver, onde encontraremos a paz de espírito. Lição esta a ser levada, para uma existência inteira. São elas:

Amor, Trabalho, Esperança e Perdão.