Arquivo da tag: amor verdadeiro

Lições de Amor em 10 Clichês – 6ª Lição: Primeira Carta De Paulo Aos Coríntios – Capítulo 13

*Este texto é parte da série “Lições de Amor em 10 Clichês”. Clique aqui para conhecer.

love is all we needFoi no casamento daquela sua tia velha que estava desencalhando que você descobriu: não era só uma música do Renato Russo. E logo seus primos começaram a se casar e você reparou que em toda cerimônia se repetiam as mesmas palavras: “Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria”. Nada é mais clichê do amor, do que a carta de Paulo aos Coríntios. E o motivo é simples, ela diz tudo.

Por mais grandiosas que sejam as coisas que eu faça, os dons ou a fé que eu tenha, se eu não colocar amor em todas elas, de nada me adianta. Ou ainda, se eu entregar tudo que tenho, inclusive a vida, se não fizer com amor, de nada adianta.

“O amor é paciente, é benigno; não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal, não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor jamais acaba(…)”

I Coríntios 13, 1-8

“Jamais mesmo!!!” – faltou ele dizer. Mas ele disse ainda, que tudo passará, profecias, línguas, ciência, tudo que conhecemos. Só restará o amor, a coisa mais importante. E depois do que li sobre o que esse cara passou, como ele passou e o que ele aprendeu, em Paulo e Estevão, acho bom dar ouvidos a ele.

Claro que Paulo não estava falando apenas do amor romântico. Falava daquele sentimento que nos torna pessoas melhores com todas as outras pessoas, com a vida e que nos dá paz de espírito. Mas, quando sentimos aquilo que chamamos também de amor por outra pessoa, que nos faz querer passar o resto da vida ao lado dela, não queremos tudo isso? Não nos tornarmos uma pessoa legal para que a outra queira estar ao nosso lado, sabendo que vale a pena?

Amar é melhorar a cada dia, por você e pelo outro. É evitar uma briga para não estragar o clima. É perder uma discussão para dormir agarradinho. É comer uma comida que você nem gosta muito para o outro ficar feliz. É abrir mão, é se doar com a certeza de que não será em vão. O amor verdadeiro ama mesmo com defeitos, suporta os espinhos, transborda, se deixa transbordar. Porque no fundo, o que quase todo mundo quer é um chinelo velho para um pé cansado. No fundo, somos muito parecidos com aquele poodle insuportável da sua mãe, que  faz qualquer coisa em troca de um colo, um carinho.

Invejo as pessoas que tem facilidade em amar. Invejo os que se jogam com todas as forças com seu amor puro, sublime, supremo. Essas pessoas são otimistas, estão em busca da felicidade sempre e colocam o amor como prioridade em suas vidas. Observe e vai descobrir que conhece alguém assim, talvez nunca tenha reparado, mas quando perceber, vai ter muito o que aprender com ela. 

Por tudo, o amor não é fácil de se praticar, mas se eu quero, eu vou tentar, treinar, praticar, me esforçar e quando conseguir receber a paz que ele me trás, vou ter aprendido tantas outras coisas! A humildade, a perseverança, a paciência, a bondade, a fé, o perdão. Apenas algumas boas lições que o amor trás no pacote.

Patrícia Bedin

Anúncios

Lições de Amor em 10 Clichês – 2ª Lição: O Combinado Não Sai Caro

*Este texto é parte da série “Lições de Amor em 10 Clichês”. Conheça clicando aqui.

balao

Finalmente hein garoto! Achou “A” pessoa, está apaixonado, feliz, acredita que ela é o amor da sua vida, é a azeitona da sua empada, a tampa da sua panela, o chinelo velho para o seu pé cansado, a metade da laranja, carne e unha, alma gêmea, bate coração.

Até aqui você já tem 2 aprendizados.

Se você riu e concordou com o primeiro parágrafo, parabéns, está aprovado no primeiro aprendizado. Se não, pare de revirar os olhos para minhas colocações clichês porque se existem duas coisas no mundo tão intrinsecamente ligadas são elas o amor e a breguice.

1º – O amor é brega, aceite e curta a oportunidade de expor sua felicidade tocando o foda-se para os preconceitos com foto de casal no Facebook, declarações de amor em público, pagode no rádio, cartinha em baixo do travesseiro, porta retrato escrito “LOVE” com a foto da gatinha na sua cabeceira. Se for muito tímido, tudo bem, esqueça as manifestações públicas, mas não deixe de ter um porta retrato.

Estes pequenos sinais são uma forma de lembrar e mostrar a você mesmo e aos outros, e a todo momento, que seu mundo esta mudando, sua vida será completamente diferente em pouco tempo por conta de alguém especial que agora faz parte da sua vida, e isso é bom e importante. Isso não significa que você precisa se afastar da família ou dos amigos, uma nova pessoa chegou para agregar na sua vida, não para te subtrair do mundo.

2º – A segunda lição, diz respeito a essa crença muito bonitinha porém muito frágil de que o outro é seu encaixe perfeito. Sentir isso é natural, mas acreditar nesta perfeição é uma armadilha. Não existe alguém no mundo que lhe completa. Existe alguém disposto a caminhar ao seu lado, alguém que acredita que você vale a pena, que você será feliz nessa caminhada.

Se esta pessoa por quem você está apaixonado fosse realmente sua alma gêmea, seria só deixar a vida passar e tudo seria um conto de fadas. A verdade é que para haver uma caminha plena e tranquila, é preciso aceitar as diferenças e conciliá-las e você não deve perder tempo, esperando a mágica acontecer, deve iniciar com o namoro, os seus pequenos esforços em nome desse amor.

Como eu já havia dito na semana passada, e volto a repetir, você não é perfeito. Seu parceiro também não.

No começo de uma relação, somos tentados a mostrar somente o melhor de nós e muitas vezes nos excedemos, mostramos o melhor e algo além que podemos ser.

Esse início é como barganhar um produto – eu mostro o melhor do meu, você mostra o melhor do seu e é claro, com tantas qualidade é difícil não fechar o negócio.

Meu amigo, você não faz isso propositalmente ou conscientemente, não se sinta culpado, apenas fique alerta: não caia na armadilha de vender um produto fazendo propaganda enganosa. Por mais que  você realmente deseje com todas as suas forças ser um anjo na vida do seu amor, aquele que vai tornar tudo mais fácil e feliz, não se venda assim, como o passaporte para uma vida cor-de-rosa, isso se tornaria mais um fardo a carregar, sendo que cada um deve carregar o seu próprio.

Repito: sua obrigação num relacionamento sério é de buscar uma caminhada lado a lado de ajuda mútua. Lembre-se de mostrar ao outro que seu produto está com algumas marcas de uso ou pequenos defeitos, mas é plenamente usável. Mostre que você é meio chato para algumas coisas, que tem algumas manias, algumas dificuldades mas que está disposto a negociar estas qualidades para o bem do casal. Viver não é fácil para ninguém, portanto é plenamente normal que existam características tortuosas em cada um. O diferencial está em saber o que é aceitável ou não, o que é mutável ou não.

O namoro é um ensaio para o casamento. É como um contrato não palpável de pequenas regras negociadas e que vai tomando forma aos poucos e se moldando sempre que necessário, para dar corpo e vida a essa união. É a atmosfera que une os dois e que faz os dois respirarem juntos. É a bolha – no bom sentido.

Se você não sabe o que quer da vida e chegou até aqui lendo este texto, você perdeu seu tempo. Agora se você se acha o “tipo para casar”, entenda e aceite bem que estar em um relacionamento sério significa que você imagina um futuro com esta pessoa, que quer o bem dela tanto quanto o seu.

Esqueça todas as bobagens individualistas que você aprendeu até hoje pois é preciso compartilhar. O que funciona na prática é tornar esta pessoa que está ao seu lado a sua maior preciosidade, fazer pela felicidade dela tudo que puder, e aí você será feliz descobrindo mais esta grande lição: você se alegra mais com a felicidade do outro do que com a própria.

Esse é o amor mais verdadeiro, o amor no sentido mais completo da palavra, um sentido que você se tiver sorte, passará a vida descobrindo e aprendendo sobre ele. Então, aprecie cada sutileza que o amor lhe dá.

 Patrícia Bedin