Arquivo mensal: abril 2014

Mais um Feliz Ano do Livro

livro

Se este blog fosse uma criança, ele já estaria saindo das fraldas. Ao pensar que a dois anos atrás ele era apenas uma ideia vaga e agora ele já está se tornando um rapazinho, me sinto uma mãe orgulhosa observando este progresso, porque como dizem, um filho muda a vida da pessoa.

Quando iniciei o projeto de ler um livro por mês, percebi com rapidez quantas coisas novas eu poderia conhecer profundamente,  quantas assuntos conseguia refletir, por quantos novos pontos de vista eu poderia observar fazendo apenas isto: lendo – entrando na mente de personagens loucos ou “ouvindo” autores com ideias novas.  Percebi que havia tanta coisa legal a ser compartilhada que eu não poderia simplesmente ler, eu precisava anotar, retomar e compartilhar todas as ideias que me surgiam enquanto eu lia.

Eu me apeguei a ideia de me apegar às ideias. E assim fiz: criei aqui um memorial para cada livro, cada insight, cada impressão que sentia.

Acredito que obtive sucesso na minha intenção inicial e portanto, 12 Meses de Leitura é sim, um filho que mudou minha vida.

Desde o ano passado, não li muitos livros. Foram nove no total. Não bati minha meta e confesso que por várias vezes pensei em ler uns livros de poesia ou de história da moda, desses que contém bastante imagem para tentar ludibriar meus milhares de leitores, mas desisti porque no fim das contas eu saberia que estaria enganando apenas a mim.

As Pessoas estão cheias de opinião

Durante o último ano, me rendi a frequentar intensamente o Facebook, principalmente para ler artigos das páginas de noticia que sigo. Sobretudo por influência das manifestações de junho de 2013, venho me tornando cada vez mais uma pessoa indignada com as injustiças do mundo, e a cada nova indignação nascem outras novos questionamentos e é assim que meus pensamentos crescem em progressões geométricas que me levam a ter dores de cabeça intensas com muita frequência.

Mas enquanto eu leio assuntos do meu interesse, percebo que outros leem assuntos dos seus ou ainda o que é mais comum, compartilham frases feitas de pessoas que não sabem quem são ou o que significam ou ainda, se são verdadeiras. Porque aparentemente, o mais importante hoje em dia, é ter uma opinião formada sobre tudo.

Esta é uma situação boa e ruim: somos obrigados a conhecer a opinião de muita gente e admitir que a massa é indissolúvel. Um grão diferente na massa é um corpo estranho.

Enquanto eu contava e recontava os livros que li neste último ano para ver se passava de nove para 12ou 15 – sem sucesso – cheguei a conclusão: é preciso ler mais livros para continuar sendo uma boa metamorfose ambulante.

Preservem a Indignação

Tenho muitas boas desculpas para ter lido 9 livros em 12 meses uma delas é que li muitos trechos de muitos livros enquanto estudava e me preparava para lecionare por isso, Li muitos livros técnicos desses que não se lê tudo de uma vez. Mas sou virginiana demais para acreditar nessa bobagem.

335372_knigi_devushka_ruki_ucheba_1920x1200_(www.GdeFon.ru)

Apesar de viver feliz só de estar numa casa cada vez mais cheia de livros, onde sinto que a qualquer hora eles dirão “meus senhores, for favor, se retirem que este quarto é nosso, não há mais espaço para vocês aqui” minha única resolução para este novo ano de leitura que se inicia, é que preciso ler mais livros inteiros, escrever mais sobre eles e preservar a indignação com as coisas que a leitura me trás, e prometer para mim mesma que no ano que vem, posso voltar até aqui e escrever para o terceiro aniversário, um texto muito melhor que este.

Patrícia Bedin